Porque é que a moda sustentável é mais cara do que a fast fashion?
Sustainability

16 Setembro 2021

Porque é que a moda sustentável é mais cara do que a fast fashion?

Porque é que a moda sustentável é mais cara do que a fast fashion?

Desde a mão-de-obra barata a produtos químicos agressivos, a fast fashion tem muito por resolver. Desconstruímos as razões que fazem valer a pena pagar extra pela moda sustentável.



Enquanto faz compras online ou numa loja, é fácil focar-se apenas na aparência e no preço de uma peça de vestuário, especialmente pela quantidade de escolha disponível para nós, enquanto consumidores. Se a fast fashion sai barato para a sua carteira, algo ou alguém teve de pagar as consequências desse baixo preço. Quando foi a última vez que se questionou de que forma é que estes produtos ficam disponíveis para compra?

 

É muitas vezes surpreendente para a grande parte do público consumidor a quantidade de indivíduos envolvidos na criação de um item de moda ou de quilómetros que percorreu, bem como os processos de produção que passou. Seja uma t-shirt branca simples, sapatos vegan feitos de couro vegan ou uma bolsa extravagante, cada item é único na sua produção.

 

Justificar pagar mais por um item que pode parecer o mesmo, mas que é produzido de forma sustentável torna-se simples quando percebe todos os passos que envolvem a criação de um produto. E é para isso que cá estamos hoje.

 


Passo 1: Design

 

Durante o processo de design, todos os detalhes criativos do visual do produto são decididos. Isto inclui as cores, padrão, formato e ajuste do item. Alguns designs são desenhados à mão e outros são representados por um computador.

 

O processo de design desempenha um papel importante na decisão sobre a sustentabilidade do produto, uma vez que decide a sua qualidade e o fim do ciclo de vida. Projetar algo a pensar no planeta é geralmente ignorado no mundo da fast fashion, cujo foco é alimentar rapidamente novas tendências. Os artigos não são criados para durar, e muito menos para serem reutilizados ou recicláveis.

 

Em contrapartida, a slow fashion e a moda circular consideram o impacto ambiental dos artigos de moda e objetivam torná-los o mais sustentável possível. Por exemplo, a criação de sandálias vegan a partir de algodão orgânico em vez de algodão convencional, ou usar  cortiça  natural para criar sapatos de cortiça em vez de usar  fibras plásticas que  levariam  milhares de anos a decompor-se.  





Passo 2: Processamento têxtil

 

O tecido é o componente chave de um item de moda, uma vez que forma a grande maioria do vestuário ou acessórioies. Todos os têxteis são compostos por fibras que são dispostas de diferentes formas para criar a força, durabilidade, aparência e textura desejadas. As fibras podem vir de muitas origens, sendo as quatro principais categorias as fibras vegetais, fibras animais, fibras artificiais e fibras sintéticas.

 

Muitos consumidores desconhecem totalmente quais as fibras que compõem a maior parte do seu guarda-roupa, o que não é surpreendente tendo em conta a falta de educação sobre este tema. De facto, os benefícios de mudar para têxteis orgânicos, menos quimicamente induzidos, não é um tema de conversa comum. Certas fibras não só são melhores para o planeta e para a vida animal, como também podem ser mais saudáveis para a sua pele e ajudá-lo a evitar alergias e irritações cutâneas.  

 

Infelizmente, no mundo da fast fashion, a fibra que compõe o tecido de uma peça de vestuário ou acessório não é escolhida pela sua ética, mas pelo seu aspeto e custo. Isto significa que o planeta, os animais e as pessoas são colocados em último lugar em prol do lucro monetário.

 

A moda sustentável, por outro lado, pretende ser bondosa ao criar impactos negativos mínimos e tem em conta a natureza, os animais e as pessoas. A título de exemplo, hoje já é possível utilizar fibras à base de plantas - como o Piñatex, material usado para criar sapatos vegan feitos a partir de folhas de ananás. Claro que recorrer a estas alternativas implica um preço maior, mas acho que todos concordamos que é mais justo, tanto a nível ético como ambiental.

 


Passo 3: Manufatura de vestuário e acessórios

 

Assim que o tecido tem as propriedades desejadas, pode ser cortado, costurado ou utilizado nos acabamentos da peça de vestuário ou acessório. O processo de criação do artigo pode ser submetido a uma série de inspeções, incluindo verificação de qualidade, avaliação de ajuste, regulamentação das dimensões, verificação de custos e quantidade, entre outros.





Quatro dos maiores exportadores de vestuário do mundo incluem a China, o Bangladesh, o Vietname e a Índia. A mão-de-obra de baixo custo destes países atrai marcas que procuram o seu próprio ganho monetário em relação aos salários dos trabalhadores de vestuário. Por exemplo, dos quatro principais exportadores, a China oferece um salário mínimo de apenas150 a 338 dólares por mês e o Bangladeche oferece um valor ainda mais chocante de 65 dólares mensais. As marcas de fast fashion focadas no dinheiro procurarão ativamente o fabrico de vestuário de menor custo possível, resultando muitas vezes em salários baixos e, muitas vezes, em mão-de-obra escravizada.

 

É possível que as marcas garantam que os trabalhadores envolvidos no fabrico das suas peças de vestuário sejam pagos de forma justa, se estiverem dispostos a fazer o esforço para o concretizar. Contudo, em resultado disso, uma marca terá provavelmente de vender os seus produtos a um custo mais elevado.

 

Parte da razão pela qual a produção local e sustentável é mais cara é porque a produção é em    menor quantidade comparativamente à fast fashion. Por isso, é impossível que estas marcas sustentáveis sejam competitivas nos preços. É essencial lembrar que o preço de um produto de moda reflete a sua viagem até à prateleira de moda.

 

 

Passo 4: Transporte & Publicidade

 

O transporte é uma parte fundamental da produção, uma vez que permite que os produtos sejam entregues nas lojas ou em sua casa, graças ao facilitismo das compras online. Com o aumento da globalização, as peças de vestuário têm sido produzidas a partir de outros países e, particularmente devido à fast fashion, a procura pela importação e exportação destes itens só aumentou.

 

Seja por estrada, comboio, mar ou ar, qualquer transporte contribui para a poluição ambiental. Para contornar esta problemática, a maioria das marcas sustentáveis faz o esforço de extrair e produzir as roupas, sapatos vegan e acessórios vegan o mais localmente possível. Isto ajuda a minimizar a pegada de carbono do produto. No entanto, este processo não é a opção mais barata, mais um fator que justifica o porquê da moda sustentável custar mais.

 

A publicidade da fast fashion promove a cultura do desgaste e do “use uma vez”, vendendo itens que ficam “fora de moda” tão rapidamente como passaram a fazer parte da tendência. As marcas de fast fashion criam muitas vezes itens de baixa qualidade que simplesmente não duram com o passar do tempo, o que significa que devem ser descartados (algo que também não é bom para o planeta). Ao contrário do que vemos na publicidade da moda sustentável, a moda minimalista e o design intemporal não são encorajados no mundo da moda barata, resultando na constante necessidade consumista de comprar mais.

 

Embora possa ser difícil, quebrar o ciclo nas suas compras de fast fashion e limitar a sua exposição a este tipo de publicidade irá ajudá-lo a fazer compras de forma mais sustentável e a comprar apenas o que necessita.





Quando identifica os passos na manufatura de um produto de moda, passa a perceber a quantidade de pessoas envolvidas na criação de uma peça de roupa, sapato ou acessório. Para além do mais, percebe o que está a pagar quando investe num produto de moda sustentável em detrimento de um item da fast fashion.

 

Opte pela produção local e ética. A sua consciência, o planeta, as pessoas e os animais irão agradecer-lhe por isso.

 

À procura de inspiração de moda sustentável? Confira como pode estilizar acessórios vegan de forma ética aqui!

 

Tenha um dia maravilhoso,

 

A equipa NAE

Autor

Madeleine Bird

Deixe o seu comentário sobre esta notícia

O seu formulário foi submetido com sucesso.
Campo de preenchimento obrigatório.
Campo de email inválido
Campo com limite máximo de caracteres
Este campo não coincide com o anterior
Campo com limite mínimo de caracteres
Ocorreu um erro na atualização dos seus dados. Por favor reveja o formulário.

* Campos de preenchimento obrigatório.